"Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra. 2 Timóteo 3:16-17"

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Do livro mais lido ao mais desprezado


                  Como cristão temente a Deus tenho uma grande noticia a todos, certamente muitos já devem saber mesmo assim vou anunciar... A BIBLIA É O LIVRO MAIS LIDO DE TODOS OS TEMPOS, O MAIS TRADUZIDO, O MAIS IMPRESSO, O MAIS DISTRIBUIDO, O MAIS, O MAIS... que alegria e que satisfação saber que essa noticia é inquestionável, é verídica.
Fico feliz, pois a verdade (João 17:17) está sendo propagada cada vez mais, um numero maior de pessoas estão tendo a oportunidade de saber as vontades de Deus para sua vida, suas promessas, seus pensamentos, seus atributos, ter contato com a fonte segura de fatos concretos e verdadeiros sobre o Deus Triúno e assim ver cair por terra os mitos, as lendas, os conceitos equivocados adquiridos de família ou tradições que deturparam a verdade.
                  Percebam o que eu quero dizer e isso é evidente naqueles que a buscam; a palavra de Deus gera relacionamento (1 João 2:4), estamos falando de um Deus vivo que deixou uma palavra viva, soberana, poderosa e vivificante (Hebreus 4:12) (2 Timóteo 3:16-17).
Também tenho uma triste noticia para dar. Na minha casa funciona um grupo de estudo bíblico e oração semanalmente, essa experiência me qualifica a escrever sobre esse fato que é; O DESPREZO que se tem com a palavra de Deus, uma atitude tão dolorosa para os que procuram anunciar as Boas Novas, quanto mais ao dono da Palavra (Oseías 4:6).
                 Os convites para leitura, estudo e tira duvida são numerosos e a rejeição é quase proporcional. Você pode estar pensando; Mas eu leio a bíblia regularmente, tenho uma na minha casa aberta no Salmo 91, tenho assiduidade regular na EBD (Escola Bíblica Dominical), porem não se iluda; É desprezo sim (e quão grande é) quando colocamos tudo como prioridade, e se tornam prioridade quando o parâmetro é a bíblia (para outros assuntos sempre achamos tempo), rejeitando assim o conhecimento de Deus que somente a bíblia é capaz de fornecer. Isso fica evidenciado em nossas atitudes, pois passamos a dar desculpas para não irmos aos estudos bíblicos (muitas vezes, desculpas a nós mesmos), desculpas para não ir à igreja, ex. tem gente pior do que eu na igreja, não esqueçam estamos falando de um Deus que se relaciona individualmente (Jeremias 1:8), desculpas para deixar de ir a qualquer lugar onde aconteça uma explanação bíblica, tudo isso são atitudes de desrespeito e mostram o grau de importância que nós damos ao modo que Deus escolheu para anunciar a grande mensagem aos homens.
                    Desprezo igual, talvez ate maior fica explicito quando o contato com a palavra não se transforma em atitude, ou seja, quando eu não trago seus princípios para minha vida, primeiro para com Deus e em conseqüência para com os homens, ficando evidenciada a falta de sujeição à vontade de Deus, postura oculta em alguns e explicita em muitos de se comportarem como os deuses de suas vidas e de seus destinos. Isso mostra o quanto somos descendência de Adão de Eva (leia Genesis 2:16-17 e 3:5) e de quanto precisamos das verdades contidas na Bíblia (João 3:1-7) (Atos 4:12), sendo assim vamos deixar de dar mais ênfase aos pensamentos e frases de autores de auto ajuda (as palavras destes trazem no máximo um conforto momentâneo) e nos esforçar em dedicar um pouco mais a conhecer a bíblia e consequentemente a Deus, onde a palavra traz vida eterna.
Por Adilson Marcos

17 comentários:

  1. Adilson,

    é isso mesmo: tem-se tempo para tudo ou quase tudo, trabalho, lazer, preguiça, etc, e pouco ou nada se tem para ler e meditar na sabedoria divina, e, por conseguinte, nossas vidas refletem o pouco ou o nada que sabemos[e não sabemos] da palavra de vida.

    Penso nos puritanos, que hoje são vistos com escárnio e deboche pela maioria dos cristãos, os quais não distinguiam a vida eclesiástica da vida secular, de forma que ambas eram uma: uma vida voltada para o serviço do Senhor e para a sua glória. Quão distante estamos deles.

    Enquanto nos acomodamos confortavelmente em nossas casas, e nos deliciamos com o prazer e a alegria efêmera que o mundo nos dá [e pelo qual nos cobra muito mais], há irmãos que são perseguidos, injustiçados, desprezados e mortos, não tão longe de nós [não é preciso ir até os países islâmicos ou comunistas para perceber que um cristão verdadeiro é perseguido impiedosamente], entre os índios, por exemplo, no Brasil. Há uma rede de "proteção" que vê missionários, pastores e evangelistas como o criminoso mais desprezível que existe. O estado semi-totalitário [que, a continuar assim, chegará ao totalitário], ongs nacionais e internacionais, e, pasme, até organismos eclesiásticos, tentam impedir que os índios sejam evangelizados. Mas como sabemos que Deus chamará e converterá aqueles que elegeu eternamente, capacitou servos fiéis a, despeito de todos os perigos, proclamarem o Evangelho de Cristo, e assim salvar aqueles a quem Deus predestinou.

    Enquanto nos consideramos importantes, ou quando consideramos ícones gospels importantes, esses são verdadeiramente aqueles que, cumprindo a vontade divina, importam para as almas que serão confrontadas com a verdade e por ela regenerados, ao invés de se conformarem consigo mesmo e com o mundo. O próprio fato de estarem em um ambiente não-cosmopolita é a mostra de que o desejo principal é servir a Deus, onde e quando ele quiser.

    Entendo que a multiforme graça de Deus permite que eu esteja em BH, você em São Luiz, e um irmão na Tailândia, outro na China, outro em N.Y, etc, para que o Evangelho seja proclamado, mas a questão é: temos verdadeiramente feito isso? Quantos missionários conhecemos? Quantas missões são abençoadas com a nossa oração e sustento financeiro? Eu mesmo me vejo miseravelmente alienado de um mundo que existe mas que teimo em não ver, insisto em não conhecer. Muitos de nós preocupamo-nos em denunciar os falsos-profetas, como uma forma de confortar nossa consciência, e esquecemo-nos de proclamar a verdade e levá-la a qualquer custo a quem Deus reservou ouvi-la. Veja bem, não digo que a mentira e o engodo devam ser denunciados. Não é isso. Mas parece que, de uma hora para outra, todos se tornaram "caçadores-de-hereges", e parece que esse é o único "ministério" disponibilizado por Deus para o seu povo. É como se todos os homens tivessem apenas pernas, e mais nenhum outro membro...

    Contudo, penso o seguinte: continue chamando e falando para os outros da importância do estudo e meditação da palavra [com moderação, insistir em gritar para o surdo apenas lhe dará dor de garganta]; procure, cada vez mais, você e os demais irmãos que se reúnem, glorificar a Deus com esse grupo. Não desanimem porque os outros não querem ouvir. Deus colocará entre vocês os que ele quer colocar, nem mais nem menos, a medida exata, então, façam o melhor que puderem com suas vidas; ajudando, exortando, consolando, sustentando os que estão aí, como membros do mesmo corpo. O resto, é confiar em Deus e obedecê-lo.

    Continue firme na Rocha; e, parabéns, mais uma vez, pela iniciativa de criar o blog.

    Grande abraço, meu amigo!

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Adilson,

    relendo o meu comentário, entre erros de pontuação e concordância [o que dá postar um comentário sem revisar], quero corrigir a seguinte frase: "Veja bem, não digo que a mentira e o engodo devam ser denunciados", quando eu quis dizer: "Veja bem, não digo que a mentira e o engodo NÃO devam ser denunciados".

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado pela visita irmão Jorge..
    Precisamos realmente sair da "nossa zona de conforto"

    ResponderExcluir
  4. Graça e paz irmão!


    Excelente post! Concordo plenamente contigo. Enquanto não as pessoas não colocarem a Bíblia como o centro das suas vidas, o conhecimento da vontade de Deus ficará muito aquém do desejado. Realmente dói quando convidamos alguém para um estudo bíblico ou para uma exposição das Escrituras e logo nos deparamos com as velhas desculpas esfarrapadas de sempre: Hoje não posso, estou sem tempo e etc. Vale lembrar que atitudes assim só procedem de pessoas que de fato ainda não conheceram o real valor que tem a Palavra de Deus. Oremos para que o povo do Senhor desperte para essa realidade e passa a amar as Escrituras como a sua própria vida.


    em Cristo!
    Pr. Samuel

    ResponderExcluir
  5. De fato, a maioria das vezes que arrumamos "desculpas" são desculpas para nós mesmos, mas dependendo do caso, a pessoa que arrumou uma desculpa se tiver um nível de consciência, irá se sentir pesado por estar tentando se enganar. E vc disse uma coisa muito interessante "os livros de auto ajuda e frases dão conforto momentâneo". E é verdade! Ao menos, acho essas frases muito momentâneas, lemos aqui, achamos interessantes, gostamos, nos indentificamos, às vezes até dizemos que vamos mudar e às vezes não acontece tb, e se brincar, daqui a 1 hora nem nos lembramos mais do que lemos. Já não é como na biblía, a força da palavra de Deus sobre nossas vidas é extremamente fixável. Este é meu ponto de vista. Um bom texto!

    ResponderExcluir
  6. Obrigado Renata, mais uma vez visitando esse canal..

    Achei bem interessante a forma como vc se posicionou reconhecendo a falha também como sua.. é um ponto bastante legal. é o star ao processo de mudança.
    abraços

    ResponderExcluir
  7. Adilson,

    Parabéns pela iniciativa. Texto muito bom e uma visão muito clara. Um livro tão importante e ainda hj, muito pouco explorado!

    ResponderExcluir
  8. É o livro mais vendido, porém pouco explorado!
    Assim como Deus fez em vc fará com cada um de nós para termos sede da palavra!
    Pq Jesus esta presente em nossos corações constantemente mostrando qual o caminho a ser seguido...

    Adorei o post Adilson...até mais!

    Leticia Pinheiro

    ResponderExcluir
  9. eu colocaria tambem um perigo que pode ser ocasionado quando vc tem uma leitura constante, mas um desprezo interno: é a pessoa achar que por só conhecer as histórias biblicas, isso lhe garante algo: é uma especie de gnosiologia, a pessoa busca conhecimento, mas não é aplicado na vida na prática, e a pessoa se segura no seu conhecimento: bom artigo

    Abraços
    Armando

    ResponderExcluir
  10. irmão Armando, muito obrigado pela visita. agradeço ao Senhor por sua amizade..

    as pessoas devem estar atentas (e isso é muito dificil) as sutilezas, aos pequenos desvios..

    ResponderExcluir
  11. Não se tem Cristo, nas igrejas atuais, como bem mais precioso, mesmo os que se dizem cristãos, não tem como a jóia mais preciosa que nossas vidas. Só se ama a Cristo se puder tirar algum milagre dEle. É constrangedor ver o modo como se busca a Deus! Ler, meditar, orar ninguém quer, pois isso custa tempo e é cansativo!

    ResponderExcluir
  12. Sou um cristão temente a Deus, mas sei que estou reservando pouco tempo para ele.
    Ótimo texto,parabéns!!!

    ResponderExcluir
  13. Muito boa Adilson! E muitas igrejas cada vez menos priorizam o estudo bíblico, líderes despreparados etc...

    ResponderExcluir
  14. Parabens Adilson pelo post.
    Precisamos desperta e colocarmos o Senhor no centro das nossas vidas.

    ResponderExcluir

Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade; Efesios 1:11